Cooperativismo
Financeiro em
Portugal e no Mundo

No Mundo

De acordo com os dados da Aliança Cooperativa Internacional, pelo menos 12% das pessoas no mundo são cooperadores de qualquer uma das 3 milhões de cooperativas existentes no planeta.

As cooperativas providenciam empregos ou oportunidades de trabalho para 10% da população empregada, e as trezentas maiores cooperativas ou mútuas geram 2.146 mil milhões de dólares em facturação, enquanto fornecem os serviços e a infraestrutura de que a sociedade precisa para prosperar. O sector cooperativo bancário em particular é de grande importância para as sociedades, promovendo o reinvestimento dos recursos privados nas suas comunidades e mantendo uma visão a longo prazo para o crescimento económico sustentável, desenvolvimento social e responsabilidade ambiental.

  • França – O sistema encontra-se consolidado. As caixas cooperativas agrícolas ocupam o sétimo lugar mundial no sistema bancário e de crédito.
  • Canadá – Em cada três habitantes, um é membro de uma caixa cooperativa de crédito.
  • Holanda – O cooperativismo de crédito é bem estruturado e responde por expressiva parcela do movimento financeiro do país. Mantém agências de apoio em países em desenvolvimento.
  • Itália – O sistema é aberto e funciona como banco, com grande participação no mercado financeiro italiano.
  • Países da Ásia – Situação similar à da Europa, com o cooperativismo alcançando bons resultados na Índia e grande expressividade no Japão. O Anyonya Co-Operative Bank sediado na Índia é considerado o primeiro Banco Cooperativo daquele continente.
  • Estados Unidos – Primeira cooperativa fundada em 1909. Hoje têm grande participação na economia – 93 milhões de americanos são associados – assim como no Canadá.
  • Alemanha – O país conta com cerca de 18 milhões de pessoas associadas e 30 milhões de clientes, numa população de cerca de 85 milhões de habitantes. O volume de recursos movimentados corresponde a mais de 18% do mercado financeiro alemão.
  • Portugal – É um dos países da União Européia que consagrou constitucionalmente a importância econômica do cooperativismo e fez dele um setor estrutural do desenvolvimento nacional.

Entre os 50 maiores sistemas bancários do mundo, 6 são bancos cooperativos, representados por: Credit Agricole, Rabobank, Natixis, Norinchukin Bank, Dz Bank e Credit Mutuel.

Na Europa

Na Europa são responsáveis por cerca de 20% do mercado de depósitos e empréstimos bancários da UE. Por esta razão, representam um papel central na economia europeia.

São os principais provedores de crédito para os cidadãos domésticos em termos de crédito hipotecário e de crédito ao consumo. São também um dos maiores credores para as PME, nos bons e nos piores momentos, conforme bem ilustrado durante a turbulência financeira. Com 2.700 bancos operando localmente e 43.000 agências, os bancos cooperativos estão amplamente representados na União Europeia. Eles atendem 214 milhões de clientes – cerca de metade dos a população da UE – principalmente consumidores, retalhistas, PMEs e comunidades. Muitas vezes, eles são o principal empregador local, com 705.000 funcionários.

Em Portugal

Em Portugal a banca cooperativa é desenvolvida por 81 Caixas de Crédito Agrícola, com cerca de 700 agências, representado o Grupo Crédito Agrícola (que agrega quase todas as Caixas Agrícolas portuguesas) o sétimo maior grupo financeiro a operar em Portugal com operação exclusiva em mercado doméstico.

A relação, a proximidade, a confiança e a simplicidade são as características do negócio bancário das Caixas Agrícolas que desempenham um papel fundamental nos equilíbrios regionais e contribuem de forma decisiva para a redução das respectivas assimetrias. Com mais de 300.000 Associados e 1.800.000 Clientes, o Grupo Crédito Agrícola é assim um dos principais grupos financeiros portugueses.